Piggy Gold

Programa do SENAI Indústria Mais Produtiva é destaque em reportagem da TV Globo

O programa Pequenas Empresas Grandes Negócios, da TV Globo, mostra como podemos reduzir desperdícios de tempo e materiais e ainda aumentar a produtividade e qualidade de produtos de uma empresa com soluções simples e inteligentes

O programa vai ao ar todos os domingos, às 7h30 da manhã

Os resultados do programa Indústria Mais Produtiva do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) foram tema de reportagem do programa Pequenas Empresas Grandes Negócios, da TV Globo, exibida nesse domingo (4). Com soluções simples e inteligentes, é possível reduzir desperdícios de tempo e materiais, aumentar a produtividade de uma empresa e melhorar a qualidade do produto. 

A reportagem mostrou os ganhos contabilizados pela empresa JGB Equipamentos de Segurança, que produz roupas para o trabalho em altas temperaturas na cidade de São Jerônimo, no Rio Grande do Sul. Com a ajuda dos consultores do SENAI, a empresa reduziu os prejuízos com os atrasos na entrega das encomendas, a falta de padronização dos processos, o elevado número de horas extras, o excesso de falhas e os estoques parados no meio da fábrica. “O programa visa, com pequenas intervenções de baixo impacto e de baixo custo, alavancar a produtividade das indústrias. Já temos resultados muito interessantes”, avaliou o diretor de operações do SENAI, Gustavo Leal, que visitou a indústria gaúcha. 

DIAGNÓSTICO - A equipe do SENAI foi até a fábrica de roupas de segurança e fez um diagnóstico. O primeiro problema apontado foi o excesso de movimentação de funcionários na área de produção. Gastava-se mais tempo e energia e, agora, a produção segue uma sequência lógica. Outra dificuldade estava na divisão de tarefas. Uma costureira fazia sozinha uma peça inteira e, hoje, cada uma faz uma parte da costura, o que permite a padronização do produto. O terceiro obstáculo à produtividade vinha do retrabalho, que foi drasticamente reduzido. 

Em sete meses do programa do SENAI, a produção na fábrica aumentou mais de 50%. A melhora na produtividade fez com que a fábrica pudesse competir em melhores condições no mercado. Para implantar o programa, a empresa investiu R$ 12 mil, que já foram recuperados, segundo o dono da fábrica, José Geraldo Brasil. “Já recuperamos esse dinheiro muitas vezes. É muito pouco o valor para o ganho que tivemos. Fazemos mais com menos produto, tempo e retrabalho, e com mais qualidade”, afirmou. 

Na primeira fase, o programa Indústria Mais Produtiva do SENAI foi desenvolvido em 18 empresas, de oito estados, e a produtividade aumentou em média 40%. Os ganhos com qualidade subiram 56% e a redução média dos custos de produção foi de 21%. As empresas selecionadas são de pequeno e médio porte dos seguintes setores: alimentos, confecção, calçados, metalmecânico, óleo e gás e brinquedos. O investimento médio de cada companhia foi de R$ 18 mil. 

O programa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do SENAI serviu de modelo para o Brasil Mais Produtivo, resultado de parceria entre o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e diversos órgãos, como a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Em 2016 e 2017, a previsão é atender 3 mil indústrias de pequeno e médio porte em todo o país, com o objetivo de aumentar em 20% a produtividade. 

ASSISTA - Conheça melhor o programa Indústria Mais produtiva na reportagem do Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Relacionadas

Leia mais

Programa da TV Globo mostra como o Sistema Indústria promove o desenvolvimento das empresas
Cursos presenciais ou a distância? SENAI tem mais de 20 mil vagas abertas em todo o Brasil
SENAI leva tecnologia e conhecimento para outros países

Comentários

Piggy Gold Mapa do site